DESTAQUEFutebolSuperliga Europeia

Inter de Milão confirma que “clube já não faz parte do projeto da Superliga”

O Inter de Milão, através de um comunicado, confirmou que o “clube já não faz parte do projeto da Superliga”.

O clube italiano explica que estará sempre “empenhado em proporcionar aos adeptos a melhor experiência futebolística” e que a “inovação e inclusão” fazem parte do ADN do clube desde o início.

“O Inter acredita que o futebol, como todos os setores de atividade, deve ter interesse em melhorar constantemente as suas competições, para continuar a entusiasmar adeptos de todas as idades em todo o mundo, num quadro de sustentabilidade financeira. Com essa visão, esperamos continuar a trabalhar em conjunto com as instituições e todas as partes interessadas para o futuro do desporto que todos amamos.”

Dos 12 clubes fundadores da Superliga, já anunciaram a saída Manchester City, Liverpool, Manchester United, Chelsea, Tottenham, Arsenal, Atlético de Madrid e Inter. Restam a Juventus, Real Madrid, Barcelona e Milan.
O presidente da Juventus, Andrea Agnelli, admitiu que o projeto da Superliga europeia de futebol, não pode continuar com cinco ou seis equipas, em declarações à agência Reuters.

“Para ser franco e honesto, não”, disse o dirigente, que manteve algumas dúvidas para o futuro e quando seis dos clubes ingleses que integravam o grupo de 12 fundadores da anunciada competição, abandonaram o projeto.

Agnelli, que falou antes de ter sido também oficializada a saída de Atlético de Madrid e Inter de Milão, disse à Reuters estar convicto da importância que a Superliga teria, mas admitiu que nas atuais circunstâncias o projeto não tenha condições para avançar.

“Continuo convicto da beleza do projeto, do valor que poderia ter dado à pirâmide, da criação da melhor competição do mundo. Mas admito que não seja assim. Agora não acredito que o projeto esteja pronto para avançar”, considerou.

O dirigente na segunda-feira tinha dito que existia um “pacto de sangue” entre os 12 clubes fundadores para que a competição fosse uma realidade.

“Há um pacto de sangue entre os nossos clubes, a Superliga tem 100 por centro de probabilidades de sucesso, vamos seguir em frente”, disse.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo