DESTAQUEFutebol

12 clubes na base da criação da Superliga europeia

12 clubes europeus anunciaram em comunicado a criação da propalada Superliga. Estes são os clubes: AC Milan, Arsenal, Atlético de Madrid, Chelsea, Barcelona, Inter Milão, Juventus, Liverpool, Manchester City, Manchester United, Real Madrid e Tottenham.

Os emblemas em questão anunciam uma nova competição a meio da semana, que será organizada pelos fundadores.

No comunicado conjunto, os clubes explicam como vai funcionar a Superliga europeia.

– 20 clubes participantes, com os 15 clubes fundadores (ndr. para já, são apenas 12) e um mecanismo de qualificação para que mais cinco equipas se qualifiquem anualmente com base no desempenho da temporada anterior.

– Jogos a meio da semana, com todos os clubes participantes continuando a competir nas respectivas ligas nacionais, preservando o calendário tradicional de jogos domésticos que permanece na essência dos clubes.

– Um início de agosto com os clubes a participar em dois grupos de dez, jogando em casa e fora, com os três primeiros em cada grupo classificando-se automaticamente para os quartos de final. As equipas que terminarem em quarto e quinto lugares vão disputar um playoff a duas mãos para definir as restantes posições nos quartos de final. A partir daí, serão eliminatórias a duas mãos até à final de maio, que será disputada em um único jogo em um local neutro.

– Assim que possível, após o início da competição masculina, uma liga feminina correspondente também será lançada, ajudando a avançar e desenvolver o futebol feminino.

De acordo com os fundadores da Superliga europeia, o novo torneio anual proporcionará um crescimento económico significativamente maior e apoio ao futebol europeu por meio de um compromisso de longo prazo com pagamentos de solidariedade ilimitados que crescerão de acordo com as receitas da competição.

Estes pagamentos de solidariedade serão substancialmente mais elevados do que os gerados pela atual competição europeia e deverão ser superiores a € 10 mil milhões durante o período de compromisso inicial dos clubes. Além disso, a competição será construída sobre uma base financeira sustentável, com todos os Clubes Fundadores inscrevendo-se numa estrutura de gastos. Em troca de seu compromisso, os Clubes Fundadores receberão um montante de € 3,5 mil milhões exclusivamente para apoiar seus planos de investimento em infraestrutura e para compensar o impacto da pandemia COVID.

«Vamos ajudar o futebol a todos os níveis e levá-lo ao seu devido lugar no mundo. O futebol é o único desporto global do mundo, com mais de quatro mil milhões de fãs e a nossa responsabilidade como grandes clubes é responder aos seus desejos», disse Florentino Pérez, presidente do Real Madrid e primeiro presidente da Superliga.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo