DESTAQUEFutsal

Portugal é bicampeão europeu de futsal

A seleção portuguesa de futsal sagrou-se, este domingo, bicampeã europeia. Portugal venceu a Rússia por 4-2 na final do Europeu de 2022 que se realizou nos Países Baixos.

Os russos foram os primeiros a buscar a baliza contrária e somaram um par de ocasiões, entre as quais uma investida que esbarrou no poste de André Sousa.

A formação de leste intensificou a pressão e chegou mesmo ao golo em cima do minuto 10 do primeiro tempo, após um bom trabalho de individual de Sokolov, que rodou sobre Pany antes de rematar para o fundo das redes.

Três minutos depois, Jorge Braz pediu pausa técnica e apelou à «tranquilidade» dos jogadores portugueses, que esteve em défice logo de seguida. Os russos continuaram a rondar a baliza lusa e, já depois de terem rematado ao poste, Afanasyev, com uma receção de pé direito e remate com o pé contrário, aumentou a vantagem, complicando a tarefa à seleção nacional.

Já com um pivot de raiz – Zicky Té -, Portugal conseguiu criar mais perigo na segunda metade do primeiro tempo. A seleção portuguesa intensificou a pressão sobre os russos antes do intervalo e, na sequência de uma bola parada reduziu a desvantagem. Bruno Coelho, num lançamento de linha lateral, colocou a bola nos pés de Tomás Paçó, que disparou de longa distância para bater Putilov.

O segundo tempo foi, à semelhança do que havia acontecido diante da Espanha, de resposta e crença portuguesa.

Apesar da pouca inspiração ofensiva, a formação das Quinas não parou de sobrecarregar a defensiva russa até ver a bola no fundo das redes. André Coelho repôs a bola em jogo, Putilov foi ingénuo e ainda desviou para a baliza, num lance em que ficou muito mal na fotografia.

A seleção nacional mostrava-se pressionante e avizinhava-se tarefa difícil para os russos.

Com cerca de nove minutos para se jogar, Miguel Ângelo trabalhou na esquerda, serviu André Coelho de trivela e o jogador do Barcelona – tal como havia feito em 2018 – bisou frente aos russos, com um desvio ao segundo poste.

Ricardinho festejava nas bancadas, os portugueses celebravam agarrados à televisão e a história estava perto de ser escrita.

A partir daí, os russos apostaram no cinco para quatro, com guarda-redes avançado, mas de nada valeu. Nos instantes finais, até, Pany Varela pressionou o defensor russo e roubou a bola no miolo, ficando com a baliza russa à sua mercê. Depois, foi a caminhada gloriosa para o 4-2 e resultado final.

No final da partida Jorge Braz selecionador nacional de futsal elevou a qualidade da equipa, a união e o excelente grupo de trabalho que tem a sua disposição.

Já do lado dos jogadores Zicky Té estava orgulhoso na prestação da equipa das quinas e com um sentimento de arrepiar.

Já André Coelho estava radiante com a conquista.

O mesmo sentimento demonstrado também por Tomás Paço após esta conquista.

A equipa das “quinas” venceu todos os jogos que disputou no Campeonato da Europa, derrotando a Sérvia (4-2), os Países Baixos (4-1) e a Ucrânia (1-0) no Grupo A, eliminando a Finlândia (3-2), nos quartos-de final, a Espanha (3-2), nas meias-finais e a Rússia (3-2) na final.

No historial da prova, Portugal disputou a final em três ocasiões, as primeiras duas perante a Espanha: na primeira vez, em 2010, a “la roja” levou a melhor, por 4-2, mas a formação liderada pelo selecionador Jorge Braz vingou-se em 2018, por 3-2, após tempo extra. Este ano, Portugal voltou a conquistar a prova ao vencer a Rússia por 4-2.

Portugal conquista pela terceira vez consecutiva uma grande competição do futsal, depois de ter vencido dois Campeonatos da Europa (2018 e 2022) e o Mundial de 2021.

planodesaude.golo.fm

Escrito por: José Carlos Leal

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo