DESTAQUEFutebol

Futebol português contribui para subida do PIB em mais de 11% para 550 milhões

O futebol profissional português contribuiu com 550 milhões de euros para o Produto Interno Bruto (PIB) na temporada de 2020/21, mais 11,3% face à época anterior, segundo o Anuário do Futebol divulgado este sábado pela EY.

“A indústria do futebol mostrou a sua resistência e, mesmo numa época completamente marcada pela pandemia de covid-19, com os estádios vazios e com muitas receitas perdidas, conseguiu atingir os melhores resultados de sempre, aumentando o seu contributo para a geração de riqueza e criação de emprego do país”, destacou à Lusa Miguel Farinha, ‘partner’ da EY.

Durante esse período, a Liga Portugal e as 34 sociedades desportivas representadas neste estudo pagaram mais 2,5% de impostos ao Estado, em termos homólogos, num total de 192 milhões de euros, com o volume de negócios global a ascender a 792 milhões de euros.

Este desempenho foi possível porque, apesar do contexto pandémico, que levou a uma redução substancial nas receitas de bilhética, o setor conseguiu compensar com outras fontes de rendimentos, resultando num aumento da receita total, sobretudo, graças ao aumento de 47 milhões de euros dos rendimentos de direitos televisivos, e do acréscimo de 11 milhões de euros decorrente da presença e desempenho nas competições europeias, nomeadamente a presença do FC Porto nos quartos de final da Liga dos Campeões da UEFA.

De acordo com os dados do Anuário, elaborado em parceria com a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), na última temporada o futebol profissional atingiu ainda uma empregabilidade recorde com 3.729 postos de trabalho, uma subida de 4,2% em relação à época 2019/2020.

“Este anuário que aqui se apresenta mostra, com a frieza dos números, o poderio desta indústria, mesmo em época tão atípica e limitativa de receitas. As privações mostraram o tanto de que somos capazes, o exemplo que conseguimos ser e como as adversidades podem transformar-se em oportunidades”, assinalou em comunicado Pedro Proença, presidente da Liga de clubes.

Com receitas de 16,9 milhões de euros, a Liga fechou a época passada com lucros de 777 mil euros, tendo libertado 6,2 milhões de euros para distribuir pelas sociedades desportivas.

planodesaude.golo.fm

Escrito por: José Carlos Leal

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo