Trincão não esperava chegar a um clube de topo mundial “tão cedo”

O futebolista português Francisco Trincão confessou que “não esperava” transferir-se tão cedo para um clube como o FC Barcelona e assumiu a intenção de “jogar o mais possível” pelo clube catalão e “conquistar tudo”.

“É um orgulho, um passo muito importante para mim. Estou muito feliz. Não esperava (por uma transferência destas). Sempre soube que tenho qualidade, mas confesso que não estava à espera de alcançar algo desta dimensão tão cedo”, afirmou Trincão, em entrevista ao canal de televisão do FC Barcelona.

O jovem extremo, de 20 anos, que se destacou ao serviço do Sporting de Braga nas duas últimas temporadas, vinculou-se até 2025 ao Barça, numa transferência anunciada em janeiro e que custou 31 milhões de euros (ME) aos blaugrana.

“Sei que as pessoas passaram a olhar para mim de outra forma, acompanham mais o que faço dentro e fora do campo, mas não me faz diferença. Sou o mesmo, faço exatamente o mesmo que fazia, com o intuito de melhorar todos os dias”, referiu o internacional sub-21 luso, que tem uma cláusula de rescisão de 500 ME.

Embora tenha concorrência de peso no plantel dos catalães, como Lionel Messi, Antoine Griezmann, Luís Suárez ou Moussa Dembélé, o extremo luso revelou “muita vontade de jogar o maior número de jogos possível, ajudar a equipa e conquistar tudo”.

Além de ter falado com o compatriota Nélson Semedo, lateral que representa o FC Barcelona desde 2017, Trincão aconselhou-se com o espanhol Abel Ruiz, avançado formado no clube catalão e com quem se cruzou nos últimos seis meses no Sporting de Braga.

“Falou-me do clube, da cidade e disse-me que o FC Barcelona é o melhor clube do mundo.

“Na altura em que foi confirmada a transferência para a Catalunha, o extremo português, campeão da Europa de sub-19 em 2018, recebeu uma mensagem especial.

“O Griezmann mandou-me uma mensagem em português a dizer vamos craque”, revelou Trincão que se definiu como um jogador “muito forte mentalmente, que procura fazer golos e assistências”.

Partilhar