Coimbra será o sexto palco a receber uma final da Taça de Portugal

O Estádio Cidade de Coimbra será o sexto palco a receber a final da Taça de Portugal de futebol e o primeiro, à 80.ª edição, fora das duas maiores cidades, depois de a Covid-19 ‘rejeitar’ o Estádio Nacional.

O encontro realiza-se no sábado, pelas 20:45, e vai opor o Benfica, recordista de vitórias na competição, com 26, a última em 2016/17 (2-1 ao Vitória de Guimarães), ao FC Porto, que soma 16, a derradeira em 2010/11 (6-2 também face aos minhotos).

Nas 79 edições anteriores, o jogo decisivo da segunda prova do calendário luso realizou-se 94,9% das vezes na Grande Lisboa, rumando apenas quatro vezes a Norte, mais precisamente ao Estádio das Antas, antiga casa do FC Porto.

A capital recebeu 75 finais da Taça de Portugal, a grande maioria (67) nos arredores, mais precisamente no Estádio Nacional, em Oeiras, que recebeu os jogos decisivos de 1945/46 a 59/60, 61/62 a 73/74, 77/78 a 81/82 e desde 83/84.

Antes de o Jamor começar a ser o palco tradicional da final da agora batizada ‘prova rainha’, as primeiras sete edições realizaram-se no Campo das Salésias e no Campo do Lumiar, antigas casas de Belenenses e Sporting, respetivamente.

As Salésias receberam a primeira edição, em 1938/39, coroando a Académica, que venceu o Benfica por 4-1, em 25 de junho de 1939, a terceira (40/41), a quinta (42/43), a sexta (43/44) e a sétima (44/45), num total de cinco.

Por seu lado, o Campo do Lumiar recebeu as finais de 1939/40 e 41/42.

O Jamor estreou-se em 1945/46, na oitava edição, com o Sporting a bater o Atlético por 4-2, e, depois disso, só não foi o palco da final em cinco ocasiões.

O Estádio das Antas, no Porto, foi escolhido por quatro vezes, a primeira em 1960/61, a segunda em 75/76, a terceira em 76/77 e a última em 1982/83, com muita polémica, que acabou mesmo por ‘atirar’ à final para o início da época seguinte.

A outra exceção aconteceu em 1974/75, época em que o Boavista se consagrou pela primeira vez, ao bater na final o Benfica por 2-1, em 15 de junho de 1975.

Das 12 finais fora do Estádio Nacional, em quatro um dos finalistas atuou no seu reduto, o primeiro dos quais o Belenenses, que, em 1940/41, perdeu por 4-1 nas Salésias, com o Sporting, no que foi o primeiro cetro dos ‘leões’.

O FC Porto foi o outro anfitrião de finais da Taça de Portugal, o que aconteceu em três ocasiões, a primeira em 1960/61, para perder surpreendentemente com o vizinho Leixões, que ganhou por 2-0 e somou o seu único triunfo na prova.

Depois, em 1976/77, os ‘dragões’ bateram o Sporting de Braga por 1-0 e, em 82/83, após muito insistência para ‘receberem’ a final no Estádio das Antas, perderam com o Benfica por 1-0, já na época seguinte, culpa de um golo de Carlos Manuel.

A 13.ª final fora do Jamor, e primeira em quase 40 anos, realiza-se no sábado, a partir das 20:45, de novo entre Benfica e FC Porto, no Estádio Cidade de Coimbra, e à porta fechada, culpa da pandemia da covid-19.

Partilhar