Estádios de Boavista e Gil Vicente aprovados para a retoma do campeonato

O Estádio do Bessa e o Estádio Cidade de Barcelos foram aprovados pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e são dois dos 12 recintos preparados para a retoma da I Liga, anunciou esta quinta-feira a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

“A Administração Regional de Saúde do Norte informou esta quinta-feira à noite de que as Autoridades de Saúde dos ACES Barcelos/Esposende e Porto Ocidental, após segunda visita, emitiram parecer favorável à utilização dos Estádios Cidade de Barcelos e do Bessa, respetivamente, considerando a análise da documentação rececionada, as visitas efetuadas e os critérios definidos no parecer técnico da DGS”, pode ler-se em comunicado publicado no sítio oficial da LPFP na Internet.

A Liga de clubes e a FPF informaram na quarta-feira o resultado das visitas realizadas pelas autoridades regionais de saúde a 15 estádios candidatos a acolher o recomeço do campeonato, suspenso desde 12 de março, com os ‘galos’ no nono lugar, com os mesmos 30 pontos de Moreirense e Santa Clara.

O Estádio da Luz (Benfica), Estádio do Dragão (FC Porto), Estádio José Alvalade (Sporting), Estádio D. Afonso Henriques (Vitória de Guimarães), Estádio João Cardoso (Tondela), Estádio do Marítimo, Estádio Municipal de Braga, o Portimão Estádio e a Cidade do Futebol (FPF) foram aprovados pela DGS para receberem jogos de imediato.

Quanto aos estádios do Bonfim (Vitória de Setúbal), Capital do Móvel (Paços de Ferreira), Cidade de Barcelos (Gil Vicente), do Clube Desportivo das Aves, do Bessa (Boavista) e do Rio Ave, a DGS indicou “um conjunto de correções” a executar, tendo em vista uma reavaliação dos requisitos de cada recinto pelas autoridades sanitárias.

Se o recinto pacense recebeu aprovação ao final do dia, após uma intervenção simples no sistema de distribuição de água, os redutos ‘axadrezado’ e gilista tiveram de reforçar a sinalização das medidas de segurança, com o Bessa a aperfeiçoar ainda os circuitos de acesso e o Cidade de Barcelos a vedar o acesso a uma sala próxima da zona técnica.

Ambos são considerados de nível 1 pela LPFP, sendo que a casa dos ‘galos’ vai acolher os cinco jogos caseiros do Famalicão, cujo recinto está alocado no patamar 3, após a DGS ter sugerido o regresso dos jogos “no menor número possível de estádios”.

O Gil Vicente recebe os famalicenses no segundo duelo após o reatamento da I Liga (26.ª jornada), defrontando ainda na condição de visitado o lanterna-vermelha Desportivo das Aves (28.ª), o Rio Ave (30.ª), o Tondela (32.ª) e o Paços de Ferreira (34.ª e última ronda).

Já o Famalicão começa por enfrentar em ‘casa emprestada’ o líder FC Porto (25.ª jornada), seguindo-se embates com o Sporting de Braga (27.ª), o Portimonense (29.ª), o campeão nacional Benfica (31.ª) e o Boavista (33.ª e penúltima ronda).Quanto aos ‘axadrezados’, vão receber Moreirense, Vitória de Setúbal, Santa Clara e Marítimo nas mesmas jornadas dos famalicenses e terminam frente ao Rio Ave.

O Santa Clara e do Belenenses SAD já anunciaram que vão jogar na Cidade do Futebol, em Oeiras, enquanto o Moreirense tem Guimarães como destino mais forte.

No plano de desconfinamento face à pandemia de covid-19, o Governo autorizou a realização à porta fechada dos 90 jogos da I Liga, que deve ser reatada em 04 de junho e é liderada pelo FC Porto, com um ponto de vantagem sobre o campeão Benfica, e da final da Taça de Portugal, entre ‘dragões’ e ‘águias’, tendo excluído a continuidade da II Liga.

Os campeonatos de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso gradual à competição, como Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

Partilhar