Adeptos substituídos por bonecas sexuais na Coreia do Sul

O regresso do futebol obriga à implementação de medidas preventivas, de modo a conter a propagação do novo coronavírus. Monitorização dos futebolistas e das equipas técnicas, utilização de máscara por parte dos jogadores suplentes e jogos à porta fechada, são algumas das regras a cumprir.

Com o campeonato da Coreia do Sul a decorrer desde 8 de maio, o FC Seoul, equipa da K League, primeira divisão do país, impossibilitado de ter fãs no estádio a apoiar os seus jogadores, colocou bonecas sexuais nas bancadas.

Na Coreia do Sul já se joga o campeonato de futebol.

Foram instalados 30 manequins, 28 do género feminino e dois do masculino, que seguravam cartazes de um site pornográfico, apesar de serem proibidos no país.

A denúncia dos adeptos, perplexos com o que se depararam durante a transmissão online do encontro, obrigou a direção do clube a esclarecer o insólito.

Através de um comunicado partilhado nas redes sociais, o clube pediu desculpa aos adeptos. Garantiu que não se tratavam de bonecas sexuais, mas sim de manequins. No entanto admitiu que a empresa onde foram adquiridas produz brinquedos sexuais.

Partilhar