Silas com 5 mil máscaras para o Hospital Garcia de Orta

FUTEBOL - O treinador do Sporting na sua 1a conferencia de imprensa na sala de imprensa Antonio Capela na Academia em Alcochete. Domingo 29 de Setembro de 2019. (ASF/CARLA CARRIÇO) SPORTING JORGE SILAS

O ex-futebolista e treinador Jorge Silas espera ter 5.000 máscaras de proteção para entregar ao Hospital Garcia de Orta, em Almada, distrito de Setúbal.

Silas foi confrontado com as dificuldades sentidas pelos profissionais de saúde no combate à pandemia da Covid-19 e lançou mãos à obra, recorrendo ao facto de poder chegar a algumas pessoas e apelar à ajuda de todos.

“O mais importante são os profissionais que podem ajudar as pessoas”, justificou à agência Lusa o antigo treinador do Belenenses SAD e do Sporting, em relação aos problemas com que as estruturas de saúde se podem debater.

O contacto com uma enfermeira amiga da mulher, com um pedido de ajuda, não deixou Silas indiferente e foi através de alguns contactos e com o recurso às redes sociais, ao Instagram e ao Twitter, que lançou o apelo.

“Estou a tentar conseguir 5.000 máscaras para fazer face a este pedido dos enfermeiros do Hospital Garcia de Orta, em Almada. Já consegui encontrar as máscaras e já encomendei pessoalmente 500, quem quiser ajudar, por favor mande mensagem privada”, escreveu na quinta-feira o futebolista.

Já amigos do futebol, entre os quais também o médio do Rio Ave Tarantini, mas também anónimos, que se tinham disponibilizado a transferir dinheiro para que Silas pudesse fazer as encomendas.

A encomenda das 5.000 já foi feita, mesmo com o treinador a adiantar alguma parte do dinheiro em falta para se atingir o número inicialmente previsto.

“No hospital há poucas máscaras, têm uma por turno”, revelou à Lusa o jogador, que espera que o número mínimo que lhe foi pedido consiga transformar-se numa ajuda concreta para os profissionais de saúde.

Em todo o processo, o treinador insiste que não quer ser protagonista, nem dizer aos outros o que devem fazer, mas sente que é hora de ajudar.

“Muitos amigos têm ajudado, alguns colegas meus, pessoas que jogaram comigo, e anónimos, através das redes sociais, hoje percebi que tinha de ativar as mensagens privadas. Já tive várias respostas”, acrescentou o jogador.

Apesar da entrega da encomenda já estar prevista, o apelo não para e Silas continua com ‘via aberta’ nas suas redes sociais, para quem quiser contribuir.

Partilhar