Não houve mensagens trocadas com Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho, fala aos jornalistas onde disse que um juiz suspendeu a decisão de revogação do seu mandato de presidente do Sporting, determinada na Assembleia Geral (AG) do clube realizada em 23 de junho, estádio de Alvalade, Lisboa, 17 de agosto de 2018. Eleito presidente do clube em março de 2013 e reconduzido em 2017, Bruno de Carvalho foi destituído do cargo na reunião magna de junho, com 71,36% dos votos, e posteriormente suspenso de sócio pela Comissão de Fiscalização, criada na sequência da demissão da maioria dos membros do Conselho Fiscal e Disciplinar. RODRIGO ANTUNES/LUSA

O responsável da investigação criminal da GNR confirma que não houve mensagens trocadas com Bruno de Carvalho nos grupos de Wattsapp que planearam o ataque de 15 de maio de 2018.

Mas, das perícias aos telefones resultou, por outro lado, a consolidação da prova, segundo José Monteiro, que identificou ainda o arguido Rúben Marques como estando na posse de um cinto.

Da parte da tarde, falou-se somente do envolvimento de Nuno Mendes (Mustafá), acusado de tráfico de droga.

O seu advogado, Rocha Quintal, não se conforma com a detenção ocorrida cerca de seis meses depois, durante buscas à sede da Juve Leo, e no mesmo dia também da detenção de Bruno de Carvalho.

O terceiro dia de julgamento foi marcado também por uma troca de palavras entre um advogado e a juíza Sílvia Pires, com esta a ameaçar cortar a palavra a Amândio Madaleno, a propósito de quem faz o quê, na investigação da Guarda.

O julgamento é retomado segunda-feira, às 9h30, com a audição prevista de elementos da GNR, mas também da PSP.

Partilhar