Raúl Alarcón reclama inocência da acusação de doping

O ciclista da equipa W52-FC Porto, Raúl Alarcon (D), festeja com o dono da equipa Adriano Quintanilha, após vencer a 4ª etapa da 79ª Volta a Portugal em bicicleta, disputada hoje entre Macedo de Cavaleiros e Mondim de Basto (Senhora da Graça), com a distância de 152,7km. Mondim de Basto, 8 de agosto de 2017. NUNO VEIGA/LUSA

Raúl Alarcón tem provas de que não violou as normas de antidopagem e diz estar inocente da acusação movida pela UCI (União Ciclista Internacional).

Numa publicação no Facebook, o ciclista espanhol, duas vezes vencedor da Volta a Portugal, garante ter “pareceres médicos absolutamente concludentes, no sentido de que não existiu qualquer violação das normas de antidopagem”.

O ciclista confirma que foi notificado pela UCI da suspensão preventiva e assegura que vai demonstrar que se trata de um equívoco.

“Vou demonstrar, com todas as minhas foças, que sou inocente e que não cometi nenhuma infração”, escreve o ciclista da W52-FC Porto.

Alarcón venceu a Volta a Portugal em 2017 e 2018. Não esteve presente na edição de 2019, ganha por João Rodrigues, devido a problemas físicos provocados por uma queda no GP Abimota, em junho.

Partilhar