Marcelo e um jordão com “dinamismo” e “imaginação nos relvados”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, durante uma visita à Agência Europeia de Segurança Marítima, em Lisboa, 10 de julho de 2019. RODRIGO ANTUNES/LUSA

O Presidente da República lamenta a morte do antigo futebolista Rui Jordão, lembrando o seu apelido de “Gazela de Benguela” e o golo que qualificou Portugal para o Euro 84.

Numa declaração à agência Lusa sobre a morte de Rui Jordão, Marcelo Rebelo de Sousa recordou “o tento no Estádio da Luz” contra a União Soviética que deu a Portugal “a alegria do apuramento para o Euro 84 em França” e também “os seus golos nesse torneio”.

“Recordando o dinamismo, a imaginação nos relvados e a capacidade de entrega do atleta de primeira água que foi Rui Jordão, o Presidente da República lamenta a morte da ‘Gazela de Benguela’ e envia aos seus familiares as mais sentidas condolências”, acrescentou o chefe de Estado, numa nota enviado por escrito.

O antigo jogador, de origem angolana, morreu esta sexta-feira, aos 67 anos, por problemas cardíacos.

Rui Jordão, natural de Benguela, Angola, jogou no Benfica, em 1971/72, e no Sporting, tendo disputado 43 jogos pela seleção portuguesa e marcado 15 golos, dois dos quais no Europeu de 1984, no qual Portugal foi eliminado nas meias-finais.

Partilhar