Santa Clara acusa Braga de abordagem proibida a Schettine

O Santa Clara já reagiu às acusações do Sporting de Braga em relação ao interesse na contratação de Guilherme Schettine, recusa favorecimento ao Benfica, e acusa o clube minhoto de abordagem proibida ao avançado.

Em comunicado, o clube açoriano diz que “não pode tolerar” uma abordagem direta ao jogador, proibida pelos regulamentos da Liga e Federação.

“O Santa Clara não pode tolerar que se façam abordagens diretas de dirigentes e treinadores a atletas profissionais de outras instituições com contrato de trabalho, facto que ocorreu no caso concreto, sendo punível nos regulamentos das competições profissionais da FPF e Liga Portugal. Esta conduta levou o Santa Clara a exigir ao Braga, o pagamento da cláusula de rescisão do atleta Guilherme Schettine”, pode ler-se.

O Braga acusou o Santa Clara de ignorar uma proposta formal, de igual valor à do Benfica, e do Santa Clara forçar uma mudança do brasileiro para Lisboa. Em resposta, o emblema dos Açores nega favorecimento.

“O Santa Clara está e estará sempre de portas abertas para receber todos os clubes, sem exceção, em igualdade de circunstâncias, não privilegiando qualquer relação que não seja o superior interesse do clube, tal como comprovam as transferências, num passado bastante recente, dos atletas Kaio Pantaleão e Fernando Andrade, para o Krasnodar e FC Porto, respetivamente”, explica.

Apesar das duras críticas, o clube açoriano continuará a “respeitar com a maior admiração o Sporting de Braga”, e aproveita para “desejar aos seus sócios e simpatizantes a melhor sorte na segunda pré-eliminatória da Liga Europa”.

O Braga apresentou uma proposta de 1,5 milhões de euros pelo ponta-de-lança Schettine, mas o impasse nas negociações com Benfica, terá levado à desistência do clube minhoto. O avançado brasileiro de 23 anos chegou aos Açores em janeiro da última temporada, e apontou sete golos em 18 jogos, numa meia temporada de sucesso individual.

Partilhar