Barty aguenta-se na liderança do “ranking” WTA

Ashleigh Barty foi eliminada nos oitavos de final de Wimbledon, mas mantém-se na liderança do “ranking” WTA, na atualização desta segunda-feira. Simona Halep, que venceu o torneio londrino, voltou ao “top-5”.

De facto, entre a romena, que subiu do número sete ao número quatro mundial, e Barty a diferença é escassa: apenas 672 pontos, colmatáveis no próximo torneio, em Silicon Valley.

A australiana tem, ainda, 348 pontos de vantagem sobre a japonesa Naomi Osaka e 550 sobre a checa Karolína Plísková, segunda e terceira classificadas do “ranking”, respetivamente. Ou seja, o Premier 5 norte-americano, que se realiza entre 29 de julho e 4 de agosto, poderá trazer nova liderança na hierarquia mundial feminina.

Nota, ainda, para o facto de Serena Williams, que repetiu o estatuto de finalista vencida em Wimbledon, ter subido uma posição e chegado ao nono lugar da tabela. A maior queda é protagonizada por Angelique Kerber. A alemã, que tinha conquistado a salva londrina em 2018, desta vez não passou da segunda ronda e, com isso, caiu oito posições, do quinto para o 13.º lugares.

No panorama nacional, nota para Francisca Jorge, que escalou 47 posições e passa a ser a melhor tenista portuguesa, no 669.º lugar. Ultrapassou Inês Murta, que escalou sete lugares, para o 681.º posto. Maria João Koehler também está em ascensão: foram oito lugares, rumo à 805.ª posição, e é a terceira melhor lusa.

Partilhar