Polícia espanhola conclui que houve manipulação de resultado no Valladolid-Valência

A Polícia Judiciária espanhola considera que o jogo entre Valladolid e Valência, da última jornada da época que agora termina, teve resultado viciado. O jornal “El Mundo” teve acesso a um relatório da investigação – Operação Oikos – que está em curso no Tribunal de Huesca, onde a polícia garante que “o resultado foi claramente condicionado e que violou a integridade da competição”.

De acordo com a informação a que o “El Mundo” divulga, o resultado acordado foi vitória do Valência ao intervalo e vitória final. “Um prognóstico que se cumpriu com a ajuda de jogadores do Valladolid”, conclui a polícia. A partida terminou com vitória do Valência, por 0-2. O Valladolid entrou em campo já sem objetivos desportivos, com a permanência garantida. A vitória do Valência permitiu à equipa terminar em posição de acesso à Liga dos Campeões.

Borja Fernández, capitão do Valladolid, de 38 anos, é o único jogador citado no relatório como implicado no caso, apesar de nas escutas telefónicas, o cabecilha do esquema, o antigo jogador Carlos Aranda, falar na compra de sete jogadores do clube propriedade de Ronaldo, antigo internacional brasileiro. O jogo com o Valência marcou a despedida de Borja dos relvados.

Outro jogo sob investigação na Operação Oikos é o Huesca-Nástic da época 2017/18 da segunda divisão espanhola. Todos os clubes envolvidos, a federação espanhola e a liga espanhola aguardam por uma comunicação oficial do tribunal para decidir que passos tomar. Atentos ao processo estão, também Saragoça, que estava na luta pela subida à primeira liga com o Huesca, em 2017/18, e o Girona, que foi a primeira equipa a descer à segunda divisão, esta época.

Partilhar