Moreirense ainda não tem renovação de Jhonatan segura

Daniel Coracini, empresário do guarda-redes brasileiro Jhonatan, afirma que a renovação de contrato anunciada pelo Moreirense não é válida. Em declarações ao portal “GuimarãesDigital”, o representante do guardião, que já teria acordo com o Vitória de Guimarães, explica o caso:

“O acordo não é válido, porque a cláusula de opção de renovação exige o acordo com o jogador, que não foi alcançado”, disse.

O Moreirense anunciou, na segunda-feira, que acionou uma cláusula no contrato para a renovação do vínculo do guardião brasileiro por mais uma época, até 2020. O clube cónego anunciava ainda que Jhonatan viu o seu contrato ser melhorado, que informou os clubes da I e II Liga da renovação, e ameaça também recorrer à FIFA, caso a renovação não fosse aceite.

Coracini anunciou que vai regressar a Portugal para resolver a situação, da “melhor forma possível para o Moreirense e para o jogador”, até porque Jhonatan “tem propostas muito melhores em cima da mesa. Se o Moreirense pagar o valor que o Jhonatan almeja, não terá problemas de ficar”, disse.

Jhonatan tinha sido dado como certo no Vitória de Guimarães, a custo-zero, na próxima temporada. O Moreirense exige 1,5 milhões de euros, valor da cláusula de rescisão, para permitir a saída.

O brasileiro tem sido um dos destaques da época do Moreirense, que se tem afirmado como uma das surpresas do campeonato: luta pelo quinto lugar, precisamente, com o Vitória de Guimarães, assim como com o Belenenses. No entanto, a 9 de março, frente ao Marítimo, Jhonatan partiu o braço, o que o afasta da competição para o que falta da época.

Por agora, a SAD do Vitória de Guimarães ainda não se pronunciou em relação à situação.

Partilhar