Fernando Santos não tem dúvidas “Portugal vai estar no Europeu 2020”

Portugal head-coach Fernando Santos reacts during their UEFA Nations League 2019 soccer match against Poland held at D. Afonso Henriques Stadium, in Guimaraes, north of Portugal, 20 November 2018. JOSE COELHO/LUSA

Fernando Santos não tem problemas em garantir que a seleção portuguesa vai estar no Campeonato da Europa de 2020, apesar dos dois empates no arranque da qualificação para a prova. Em declarações à margem de um encontro de treinadores, em Portimão, o selecionador português diz que Portugal vai querer vencer o Luxemburgo na próxima partida de qualificação:

“Portugal vai estar no Campeonato da Europa 2020. A seleção quer vencer todos os jogos que entra, é um objetivo claro e único. Para isso queremos fazer golos e não deixar que entre na nossa, o nosso objetivo é esse para o jogo”, começou por dizer.

O selecionador português admite que a Federação Portuguesa de Futebol quer revalidar o título de campeão europeu: “Na federação querem ser campeões e ganhar tudo. A nossa responsabilidade é arranjar soluções para corresponder a estes objetivos”.

Fernando Santos falou sobre o regresso de Cristiano Ronaldo à seleção, e deixou ainda uma mensagem à seleção argentina, que, apesar de ter Messi, “não ganha nada”:

“Quando se tem um dos melhores, as coisas são melhores, mas não resolve todos os problemas. Há quem tenha um dos melhores do mundo e não ganha nada há não sei quantos anos. O indíviduo por si não não ganha nada, estrelas só no céu e nunca as vi sozinhas. O jogo de futebol é sempre coletivo, não é ténis. Mas as individualidades são sempre importantes, e ter um dos melhores do mundo traz sempre vantagens, claro”.

Fenando Santos falou ainda sobre as principais diferenças entre orientar um clube e uma seleção e as dificuldades e desafios acrescidos de treinar uma seleção nacional:

“Não tem nada a ver um cargo com o outro. Num clube, começas dois meses antes a preparar a época, não há nada disso na seleção. Já não viamos os jogadores há quatro meses. É um conceito diferente, quase não há treino, esta concentração, foram quase todas as sessões de recuperação”.

Partilhar