Mais um jogador a acusar Boaventura de suborno

C

Depois de Lionn ter acusado César Boaventura, empresário com ligações ao Benfica, de tentar aliciar vários ex-jogadores do Rio Ave antes de um jogo com este clube, agora é a vez de Cássio, guarda-redes do clube, denunciar o empresário por tentativa de suborno.

De acordo com o semanário Expresso, as autoridades decidiram colocar sob escuta os telemóveis de alguns jogadores do Rio Ave depois de algumas apostas na plataforma “Placard” terem levantado suspeitas.

Numa dessas chamadas, as autoridades terão intercetado uma chamada entre o guarda-redes e o empresário César Boaventura em que este o aborda, dizendo que precisava “de dar uma palavrinha, mas pessoalmente, porque os telemóveis têm ouvidos”.

Apesar de, na conversa descrita, não ter sido revelado nada suspeito, o jogador terá contado a um amigo, via telemóvel, o que acontecera. Segundo o Expresso, o empresário terá oferecido 250 mil euros, “mandatado por Luís Filipe Vieira”, para facilitar um jogo com o Benfica.

O empresário de Viana já reagiu na sua página de Facebook, diz que Cássio “vai pagar bem caro” e que o jogador não precisa de “colaborar com a PJ”, mas sim de “provar” que o que diz é verdade.

Esta não é a primeira vez que o empresário é acusado de tentar aliciar jogadores para perder contra os encarnados. Esta semana, Lionn, jogador do Chaves, disse em tribunal que o agente tentou comprá-lo antes de um jogo contra o Benfica.

“César Boaventura tentou comprar-me antes do jogo contra o Benfica. A mim, ao Cássio e ao Marcelo também”, disse no julgamento, um processo de difamação movido por Cássio contra Boaventura. O empresário insinuou que este teria ajudado o FC Porto a chegar aos 5-0 numa partida contra o clube que representava.

O Expresso diz ainda que outros jogadores terão estado na mira do empresário.

Partilhar