Feirense elimina Paços de Ferreira da Taça de Portugal

O Feirense eliminou o Paços de Ferreira da Taça de Portugal com recurso a grandes penalidades


Após nulo nos 90 minutos, a equipa de Nuno Manta Santos reagiu à desvantagem no prolongamento e carimbou os «quartos» da prova rainha nos penáltis. Fogaceiros pela segunda vez na história da prova entre os oito melhores, quase 27 anos depois da primeira e última vez.


Eram realidades distintas dos respetivos campeonatos a colidirem na Taça.

O Feirense a tentar fugir aos últimos lugares da Liga. O Paços à procura do retorno à elite, a apresentar-se quase com o figurino da II Liga no Marcolino de Castro. Já Nuno Manta Santos mudou mais de meia equipa em relação à goleada sofrida em Braga, deixando várias das primeiras opções no banco. Destaque para o regresso de Philipe Sampaio, dois meses após lesão.


A experiência de Liga de muitos jogadores e do próprio treinador do Paços ajudou a equilibrar as forças, ainda que o espetáculo do futebol tenha perdido aqui e ali pelo pragmatismo e necessidade de não errar de parte a parte.


A equipa de Nuno Manta foi aguerrida e combativa, mas chegou menos vezes à baliza de Marco, perante um Paços bem posicionado que pecou pela qualidade na definição ao aproximar-se da área fogaceira.


Diaby foi pêndulo constante no apoio ao quarteto defensivo dos pacenses, que procuraram sempre pressionar a saída de bola contrária através de Luiz Carlos e sair rápido com a velocidade de Uilton e Fatai pelos flancos.


Tudo isso resultou em quatro avisos. Se o primeiro mereceu atenção redobrada de Brígido para negar o golo a Luiz Phellype (3’), as restantes pecaram na definição. Luiz Phellype falhou o cabeceamento (25’) e depois, em duas recuperações perto da área, Christian e Fatai não aproveitaram.

Partilhar