FC Porto e AS Roma em análise na Liga dos Campeões

O FC Porto defronta a Roma nos oitavos de final da Liga dos Campeões. É o reencontro com a equipa italiana que os campeões nacionais eliminaram, em 2016/17, da fase de grupos da competição. Em duas épocas houve alterações profundas nos dois clubes, inclusivamente a mudança de Marcano do Dragão para o Olímpico de Roma.


O sorteio, em teoria, não foi o mais desfavorável para a equipa portuguesa. O FC Porto era cabeça de série, mas evitou confronto com equipas como Atlético de Madrid, Tottenham, Liverpool e Manchester United. No entanto, o barómetro pela qual se mede a força dos clubes poderá sofrer alterações. Faltam cerca de dois meses para os jogos dos oitavos de final e pelo meio há janela de transferências que poderá provocar mudanças dos plantéis.


O Porto começa por jogar em Roma, a 12 de fevereiro, e a eliminatória define-se a 5 de março, no Dragão.


A Roma está a desiludir no campeonato italiano e é com insistência que a imprensa escreve sobre a iminente saída de Eusebio Di Francesco. O treinador, de 49 anos, cumpre a segunda época no clube, depois de 3º lugar alcançado em 2017/18.


Com 16 jornadas cumpridas, a Roma ocupa o 6º lugar da Serie A, com 24 pontos. Está a 22 da líder Juventus. Paulo Sousa, treinador português que já trabalhou em Itália, na Fiorentina, tem sido apontado como uma das possibilidades para suceder a Di Francesco.


Apesar da época negativa, a Roma tem um plantel cheio de estrelas, algumas já com vasta experiência acumulada, como Dzeko, Pastore e De Rossi, outras com enorme potencial, como Justin Kluivert e Cengiz Under.
A defesa, com 30 golos sofridos, em 22 jogos, é o setor, aparentemente, mais débil da Roma. Isto apesar de contar com jogadores como Florenzi, Kolarov, Fazio, Manolas, Juan Jesus e Marcano, antigo central do FC Porto, que tem recebido apreciações negativas da crítica especializada.


O FC Porto nunca perdeu com a Roma. Em quatro jogos, os dragões venceram duas vezes e empataram outras duas. O primeiro embate foi em 81/82, para a Taça das Taças. Os campeões nacionais venceram, nas Antas, por 2-0, com golos de Walsh e José Alberto Costa, e empataram a zero em Itália.


As equipas reencontraram-se em 2016/17 no “play-off” da Liga dos Campeões. Registo para um empate, na 1ª mão, no Porto, a uma bola, com golos de André Silva e Felipe, na própria baliza.


Na 2ª mão, a equipa, então orientada por Nuno, venceu, por 0-3, com golos de Felipe, Layún e Corona.

Partilhar