Benfica solicita abertura da “caixa negra” do VAR

The referee Joao Pedro Pinheiro consults the video referee during the Portuguese First League Soccer match between Sporting CP and Desportivo das Aves at Alvalade XXI stadium in Lisbon, Portugal, 14 of January 2018. MIGUEL A. LOPES/LUSA

O Benfica solicita ao Conselho de Arbitragem (CA) que “em nome da transparência, abra a ‘caixa negra’ do VAR”. O que os encarnados pretendem é que o CA torne públicos os nove erros do videoárbitro identificados por aquele órgão nas primeiras 11 jornadas do campeonato.


Em comunicado, o Benfica sublinha que “não se pode fazer um balanço apressado à utilização do videoárbitro e admitir nove erros graves, apenas para tentar serenar as águas e fazer-nos crer que o número de más decisões é aceitável face ao total de lances avaliados”.


“Pior é que, em nome da transparência, não sejam do conhecimento público quais foram esses erros e em que circunstâncias eles se deram. Tal omissão visa proteger ou esconder o quê?”, questiona os lisboetas.


A oportunidade da tomada de posição do Benfica acontece após uma jornada que o clube considera ter sido “polémica”, com mais erros a manchar a Liga 2018/19″. “Numa competição sem a possibilidade de recorrer ao auxílio da tecnologia, um total de nove erros graves nas primeiras 12 jornadas já seria um exagero. Com o VAR, é simplesmente incompreensível”, pode ler-se.


“Em nome da transparência, é fundamental que se abra a ‘caixa negra’ do VAR. Quem errou? Onde se errou? Como se errou?”, conclui o Benfica.

Partilhar