Sete detidos e seis polícias feridos, é o balanço feito após incidentes com adeptos do Benfica, que começaram dentro do Estádio da Luz e que se prolongaram para fora do recinto, no final do clássico entre Benfica e FC Porto, de domingo.

Os adeptos encarnados lançaram pedras, garrafas e petardos contra as forças policiais, que tiveram de disparar balas de borracha. Entre os detidos, há também adeptos do Porto, pela posse de material proibido. Balanço feito pelo comissário Tiago Garcia, da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Lisboa.

"Confirmamos que os confrontos que houve foram só entre adeptos do Benfica, registando entre eles sete detidos, quatro por posse de artefacto pirotécnico e três por agressões a polícias. Destes quatro detidos por posse de artefactos pirotécnicos, há a registar que não foram todos do Benfica. Três deles foram do FC Porto. Temos a lamentar seis polícias feridos entre os confrontos. Não houve qualquer um que tivesse de ficar internado, embora tenham recebido cuidados hospitalares", contou o comissário, confirmando que os agentes ficaram feridos "nos confrontos com adeptos do Benfica, essencialmente por arremesso de objetos".

O comissário Sérgio Soares explicara aos jornalistas, na véspera, que, com a claque portista dentro do recinto, os adeptos encarnados envolveram-se entre si e, quando a polícia tentou intervir, não aceitaram a ordem do Corpo de Intervenção. "Depois do final [do jogo], os adeptos do Benfica no topo sul do Estádio da Luz envolveram-se numa desordem entre eles e obrigaram à intervenção policial para cessar os desacatos. Os mesmos adeptos voltaram a sua agressividade para com a Polícia. Isso obrigou ao emprego da força mais musculada", detalhara.

 

Newsletters

Subscreva gratuitamente as newsletter e receba o melhor da actualidade desportiva e as nossas promoções.