O piloto português Miguel Oliveira (KTM) venceu, este domingo, o Grande Prémio de Itália em Moto2, sexta prova do campeonato do mundo de motociclismo de velocidade, cumprindo as 21 voltas em 39.42,018 minutos.

Numa corrida em que recuperou do 11.º posto da grelha de partida e na qual protagonizou diversos duelos pela primeira posição, Miguel Oliveira conquistou a primeira vitória da temporada, ao levar a melhor na última volta sobre o italiano Lorenzo Baldassari (Kalex), que cortou a meta apenas 184 milésimos de segundo depois.

No campeonato, Oliveira manteve o segundo posto com 98 pontos, mas reduziu para apenas 13 pontos a sua desvantagem para o comandante, o italiano Francesco Bagnaia (Kalex), hoje apenas quarto, logo atrás do espanhol Joan Mir (Kalex).

Oliveira, que já tinha sido o melhor dos pilotos KTM na qualificação - a Kalex ocupou os 10 primeiros lugares -, largou bastante bem e, no final da reta da meta, já estava no quinto posto, tendo finalizado a primeira volta no terceiro lugar.

A partir daqui, Miguel Oliveira, que à segunda volta já liderava, iniciou vários duelos pela vitória, primeiro com o italiano Mattia Pasini (Kalex), vencedor em 2015 e autor da 'pole position', que ao fim de algumas voltas parecia ter a corrida controlada, mas uma queda a oito voltas do fim voltou a abrir a luta pela vitória.

Miguel Oliveira herdou a liderança, mas rapidamente voltou a contar com oposição, desta feita do também italiano Lorenzo Baldarassari (Kalex), tendo ambos trocado de posição inúmeras vezes ao longo das últimas voltas.

Na fase final da corrida, Miguel Oliveira atacou forte à entrada para a última volta e ganhou um ligeiro avanço para Baldassari, que também terá acusado algum desgaste de pneus, o que foi suficiente para o corredor luso alcançar o primeiro triunfo do ano, numa pista na qual alcançou também a sua primeira vitória quando corria em Moto3.

"Vi que todos estavam com problemas na frente, pelo que decidi que tinha de tentar tudo para ganhar. O Lorenzo tinha, sem dúvida, um pouco mais de velocidade do que eu, por isso ele tentou atacar para assegurar a vitória, mas ela acabou por sorrir para mim no final", disse o piloto luso, de 23 anos, após a corrida.

O piloto italiano acabou por reconhecer a falha na parte final: "Foi um erro meu. Tinha um pequeno avanço e assumi um risco."

Miguel cumpriu as 21 voltas do Grande Prémio de Itália, sexta prova do campeonato do mundo de motociclismo de velocidade, em 39.42,018 minutos, superando Baldassari por 184 milésimos de segundo.

No campeonato, Oliveira manteve o segundo posto com 98 pontos, mas reduziu para apenas 13 pontos a sua desvantagem para o comandante, o italiano Francesco Bagnaia (Kalex), hoje apenas quarto, logo atrás do espanhol Joan Mir (Kalex).

A prova prova do Mundial, o Grande Prémio da Catalunha, está agendo para 17 de junho.

 

Newsletters

Subscreva gratuitamente as newsletter e receba o melhor da actualidade desportiva e as nossas promoções.