Luís Filipe Vieira procurou tranquilizar, esta segunda-feira, os sócios do Benfica. O presidente encarnado garantiu que não existem sacos azuis no clube e não fugiu a nenhum dos assuntos mais difíceis, em assembleia geral, nomeadamente os diversos casos judiciais a que o Benfica tem sido colado.

"Recentemente, lançaram suspeitas sobre a existência de sacos azuis. Porque é aos sócios que devo a primeira palavra, entendo ser este o local certo para, pela primeira vez, falar sobre o assunto. Para reafirmar que no SL Benfica não existem sacos de nenhuma cor e espécie e, menos ainda, sacos azuis", começou por dizer.
Vieira denunciou a "existência de uma coligação negativa, como nunca se viu em Portugal, e com uma única finalidade: atingir o Benfica na sua reputação e na sua honra".

Vieira não escondeu que a época que agora termina foi um falhanço desportivo. O conjunto de Rui Vitória falhou o "penta", foi humilhado na Liga dos Campeões e foi eliminado, logo a meio da época, das taças, por equipas teoricamente inferiores. Além disso, falhou o campeonato em todas as modalidades, exceto futsal, que ainda disputa.

"No plano desportivo, assumo que esta época falhámos os principais objetivos no futebol e nas modalidades. Sou o único responsável por isso", assumiu o presidente das águias. "Apesar de termos estado na luta até ao fim, é verdade que perdemos", acrescentou.

O líder encarnado rejeitou, no entanto, a ideia de desinvestimento no futebol: "Não desinvestimos tanto quanto se fala. Fomos fiéis à política definida há três anos, de valorizar a formação do Benfica, de investir sustentadamente, de reduzir a dívida bancária e a nossa dependência do sistema financeiro e, mesmo assim, continuámos competitivos".

De qualquer forma, Vieira prometeu que "o processo de reconquista está em curso" e que o Benfica voltará a vencer "rapidamente".

 

Newsletters

Subscreva gratuitamente as newsletter e receba o melhor da actualidade desportiva e as nossas promoções.