A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) vai pedir ao Comité Olímpico Internacional (COI) para que inclua os 50 quilómetros de marcha feminina no programa dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. A decisão foi aprovada por unanimidade.

Os 50 km de marcha masculina já existem nos Jogos Olímpicos, mas a vertente feminina ainda não. A IAAF ouviu, durante a semana, várias marchadoras, entre elas a portuguesa Inês Henriques, primeira campeã do mundo da distância na modalidade. A solicitação oficial seguiu, então, para o COI, que decidirá se aceita, ou não, incluir os 50 km marcha no programa de atletismo dos Jogos.

A delegação de marchadoras que se deslocou ao Mónaco para fazer a petição confia numa decisão favorável. "O COI valoriza e está a favor da igualdade de género", explica Ainhoa Pinedo, marchadora espanhola, em declarações reproduzidas pelo jornal "As".

A prova feminina foi, pela primeira vez, incluída nos Mundiais de atletismo de 2017, em Londres. Inês Henriques arrecadou a medalha de ouro, a que juntou um novo recorde do mundo, fixado em 4:05.56 horas. O anterior também já lhe pertencia.

 

Newsletters

Subscreva gratuitamente as newsletter e receba o melhor da actualidade desportiva e as nossas promoções.