Quatro ex-jogadores do Oriental receberam, cada um, 7.500 euros, para perderem frente ao Penafiel, na época 2015/2016, disse esta quinta-feira em tribunal um inspetor da Polícia Judiciária, no processo Jogo Duplo, relacionado com viciação de resultados no futebol.

O julgamento, que decorre em Lisboa, conta com 27 arguidos, oito deles antigos jogadores do Oriental de Lisboa, bem como ex-futebolistas da Oliveirense, do Penafiel e do Académico de Viseu, além de dirigentes desportivos, empresários, um elemento de uma claque e outras pessoas com ligações ao negócio das apostas desportivas.

Na segunda sessão, o coordenador da investigação criminal da Polícia Judiciária (PJ) explicou ao coletivo de juízes que receberam, em 27 de abril de 2016, uma denúncia a dar conta que o jogo Oriental--Leixões, ocorrido três dias antes, "tinha sido manipulado" e que o Penafiel--Oriental, da jornada seguinte, que se realizaria em 30 de abril, "também seria manipulado".

Esta denúncia esteve na origem do inquérito crime, enquanto o jogo disputado entre Penafiel e Oriental foi o primeiro jogo de futebol da II Liga, no âmbito deste processo, monitorizado e vigiado pela PJ.

 

Newsletters

Subscreva gratuitamente as newsletter e receba o melhor da actualidade desportiva e as nossas promoções.