O Rali dos Açores volta a ser a prova de abertura do Campeonato da Europa de Ralis. Com 76 equipas inscritas, 39 das quais estrangeiras, e 40 RC2, a categoria mais competitiva no Europeu, tudo se conjuga para que a prova açoriana volte a ser um êxito.

Ricardo Moura (Skoda Fabia R5), vencedor em 2016, e Bruno Magalhães (Skoda Fabia R5), que triunfou o ano passado, integram o lote de potenciais candidatos à vitória, que integra o russo Alexey Lukyanuk (Ford Fiesta R5), o alemão Marijan Griebel (Peugeot 208 T16 R5) e o polaco Lukasz Habaj (Ford Fiesta R5).

Ricardo Moura tem a vantagem de “jogar em casa”, mas tem o contra de trocar o Ford Fiesta R5, com que correu nos últimos anos, pelo Skoda Fabia, estando por saber como é que vai decorrer a adaptação ao carro da marca checa. Já Bruno Magalhães espera, nas estradas de S. Miguel, ganhar embalagem para voltar a discutir o título europeu, depois de, no ano passado, ter ficado em segundo lugar.

Para o lisboeta, o importante “é recuperar o ritmo competitivo”. “Estou parado há alguns meses, mas é uma honra estar no lote de favoritos numa prova com tantos excelentes pilotos”, disse Bruno Magalhães, que procura a quarta vitória nos Açores.

Em termos de Campeonato de Portugal, Ricardo Moura, que venceu a prova de abertura, o Rali Serras de Fafe, vai ter no campeão, Carlos Vieira (Hyundai i20 R5), e em José Pedro Fontes (Citroen DS3 R5) os seus mais diretos adversários, uma vez que Bruno Magalhães raramente aparecerá nas provas nacionais.

Curiosidade ao redor daquilo que o regressado Bernardo Sousa (Citroen DS3 R5), vencedor em 2014, poderá fazer, depois de dois anos afastado da competição.
Em termos de percurso as novidades acontecem nas classificativas das Sete Cidades e Vila Franca/São Brás que têm novas versões, com a primeira a ser a especial mais extensa (23,87 km) da prova.

O rali começa na quinta-feira, às 15h00, na Praça Gonçalo Velho, no centro de Ponta Delgada, e os concorrentes têm de percorrer três especiais: Lagoa Street Stage (2,14 km), Vila Franca – São Brás (17,08 km), que tem uma nova versão, e Grupo Marques (3,95 km), na qual dois carros competem em simultâneo.

Na sexta-feira haverá uma dupla passagem pelas classificativas de Pico de Pedra (7,02 km), Feteiras Meo (7,48 km) e Sete Cidades (23,87 km), que surge com uma nova versão e é a mais extensa da prova.

Finalmente, no sábado, haverá uma dupla passagem pelas clássicas Graminhais (21,98 km) e Tronqueiras (21,99 km), que tantas vezes têm provocado “revoluções” na classificação, com a parte da manhã a fechar com a segunda passagem por Grupo Marques e a parte da tarde a abrir com a segunda passagem por Vila Franca – São Brás.

A consagração dos vencedores acontecerá no local de partida, em Ponta Delgado, ao final da tarde.

Newsletters

Subscreva gratuitamente as newsletter e receba o melhor da actualidade desportiva e as nossas promoções.