Rali de Portugal gera receita recorde

O Rali de Portugal gerou um impacto direto de 138,3 milhões de euros na economia nacional em 2018, estima um estudo encomendado pelo Automóvel Club de Portugal (ACP), divulgado na quarta-feira.


Metade do retorno verificou-se em despesa direta assegurada por adeptos e equipas na região onde decorreu a prova do ACP: 72,9 milhões de euros, mais 1,7 face a 2017, registando assim um novo recorde no impacto que o evento provoca anualmente no país.


O ACP estima que a relevância do Rali de Portugal para a economia desde 2007, ano em que a prova regressou ao campeonato do mundo, “registou 1.173 milhões de euros numa perspetiva agregada, contributo que nenhum outro evento desportivo ou turístico organizado anualmente em território nacional atinge”, anunciou o clube, em comunicado.


Segundo o mesmo estudo, realizado pelo do Centro Internacional de Investigação em Território e Turismo da Universidade do Algarve, face ao volume e tipologia de gastos dos adeptos, “é possível estimar que residentes e turistas com despesas afetas ao Rali de Portugal 2018 proporcionaram ao Estado uma receita fiscal bruta superior a 20 milhões de euros (IVA e ISP), representando 28,7% de impostos face à despesa direta total”.


Em 2019, o Rali de Portugal decorre de 30 de maio a 2 de junho.

Partilhar